terça-feira, 5 de agosto de 2008

Perdedor

Eu escondo meus defeitos nas virtudes
e não nego ser por vezes perdedor

Mas desejo que se afirme entre os demais
e que seja o primeiro colocado

Eu desejo que suceda
condecorado ou promovido

Pouco importa quem melhor deseje
contanto que o bem seja seu

É o que faz com seu mal que preocupa
e não desejo esse medo a ninguém

--

Imagem: William Adolphe Bouguereau (1825-1905) – Dante And Virgil In Hell (1850)

2 comentários:

Viajanteee disse...

Iste revela que, independente da forma de expressão, da forma interpretada, e da forma assimilada... os mesmos sentimentos, em sua pureza, fazem parte tanto do observador como da coisa observada. E é também por este sentimento, dêem o adjetivo que for, que se tornam únicos.

Espero ter sido claro...

Six Pièces Pour Piano disse...

Valeu ter ficado esse tempo todo sem postar xD